quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014



Versos doces e amáveis, com sentimentos intensos, de um lirismo predominante. A poetisa mineira Ana Angélica Bruni, que acaba de lançar seu primeiro livro, "Palavras e Lágrimas" (2013 - Editora Sucesso), encanta seus leitores com a beleza de seus poemas. Conheça um pouco mais desta promessa da nova geração.
por J.M. della Rosa



"Através dos versos faço uma viagem além da minha imaginação.
Devaneios perfeitos. Gosto desta fuga do real para o surreal."

T&QP – Quem é Ana Angélica Bruni?

Ana Angélica Bruni – Tenho 34 anos e moro na cidade de Pará de Minas no estado de Minas Gerais. A vida me impulsiona a subir degraus. Resgato na suavidade de viver a aliança de poder fazer o que gosto e buscar sempre um novo aprendizado diante as incertezas.  Sou mãe de um lindo garoto com olhos de jabuticaba de nome Jhonatan Bruni Marçal, com idade de oito anos. Filho amado. E é diante destes olhos negros que eu encontro alento para ser sempre esperançosa diante de qualquer obstáculo.


T&QP – Qual é a sua profissão?

Ana Angélica Bruni – Sou professora de Língua Portuguesa, formada pela Fapam – Faculdade de Pará de Minas. Fiz licenciatura por acreditar que o futuro está nas mãos de quem passa conhecimento. Leciono desde o ano de 2010 e minha primeira experiência profissional foi em uma escola estadual. Lecionei inglês na Escola Estadual Fernando Otávio em 2010. Foi meu primeiro contato com o educando.  Fazer letras foi uma realização profissional em que as lembranças do tempo da faculdade ainda retornam e me fazem me sentir aluna ainda. E entendendo que sempre serei aluna; compreendo que sempre estarei a aprender para ensinar.


T&QP – Você gosta do que faz?

Ana Angélica Bruni – Há três anos leciono. E posso dizer que meu paladar está bem mais apurado que no primeiro dia em que lecionei. Sim. Amo o que faço. É essencial que façamos o trabalho com amor. Somente assim poderemos atingir resultados positivos na educação.


T&QP – Por que você escolheu Pará de Minas para viver?

Ana Angélica Bruni – Pará de Minas é conhecida como capital do frango e do suíno porque apresenta grande produção desses animais. Desde pequena vivo nesta cidade. Aqui conheci minhas avós e avôs, cresci junto aos meus sete irmãos. Da infância pobre a vida adulta cheia de conquistas. Estar viva por si já é uma conquista prazerosa degustada todos os dias. Em Pará de Minas estudei desde as séries iniciais até a faculdade.


T&QP – Ana Angélica acredita em Deus?

Ana Angélica Bruni – Acredito fielmente em Deus. Acredito na grandiosidade da nossa existência. E sendo humana e possuidora de tantas fraquezas, acredito em um Deus que nos faz sábios e capazes de distinguir ações ruins de boas.


T&QP – Você tem religião?

Ana Angélica Bruni – Eu sou católica. Vejo a religião como essência do ser humano. Buscamos sempre entender a nossa existência e essa capacidade única de dominar o raciocínio.


T&QP – Falando de sua carreira, quando você começou e o que te levou a escrever?

Ana Angélica Bruni – Quando terminei a faculdade comecei a escrever pequenos poemas. Pequenas narrativas. Gosto muito da forma lírica de escrever. Mas foi conhecendo escritores contemporâneos que comecei a escrever com mais freqüência.  Este espelho literário nos faz querer ver o reflexo da nossa poesia no outro. “E foi assim que em 2013 surgiu minha primeira obra” Palavras e Lágrimas.


T&QP – Quem é que te inspira?

Ana Angélica Bruni – Tudo ao meu redor me inspira. Desde o grotesco barulho dos carros, ao doce voo de um passarinho. Fazer poesia me fez ver o lado rebuscado da vida, mas também me fez ver e entender o mais singelo .


T&QP – Além de poesia, o que mais você escreve?

Ana Angélica Bruni – Escrevo pequenos contos. Ainda não arrisquei a divulgá-los. Mas este ano de 2014 tenho novos projetos para o público infantil.


T&QP – O que você mais gosta de escrever?

Ana Angélica Bruni – Gosto de escrever poesia. Através dos versos faço uma viagem além da minha imaginação. Devaneios perfeitos. Gosto desta fuga do real para o surreal. As figuras de Linguagem me encantam. Esse escrever perpetuando os significados.


T&QP – Qual é o seu trabalho preferido?

Ana Angélica Bruni – Muito difícil escolher um trabalho preferido. Cada poema que escrevi ficou em minha mente e coração. Fazem parte de mim. Mas tem um que tenho muito gosto por ele. E é tão simples, mas ao ouvi-lo através da recitação de um amigo e poeta, Fábio Kerouac, apaixonei por esse poema.



Segunda- feira


Chegou a hora segunda-feira é agora.
Momento de abrir as cortinas.
De fazer a faxina.
Mandar a preguiça embora.

Chegou a hora segunda-feira é agora.
O sol já surgiu.
Com ele novas esperanças.
Novas expectativas de um dia positivo viver.

Chegou a hora segunda-feira é agora
Momento de novamente fazer o bem
Sem olhar as faces.
Fazer o bem em qualquer parte.

Chegou a hora segunda-feira é agora...



T&QP – Quais são seus projetos atuais?

Ana Angélica Bruni – Projeto atual é fazer uma obra com temáticas diversas com o escritor Bruno Borin Boccia. E finalizar o projeto do livro infantil.


T&QP – O que você pode nos contar sobre esse parceria?

Ana Angélica Bruni – Bruno Borin Boccia é um amigo que sempre esteve presente na minha vida literária. A sua gentileza de ser amigo está presente em minha primeira obra com a escrita de um prefácio maravilhoso. Sinto-me feliz em poder escrever uma nova obra em companhia de um escritor tão talentoso. Essa união da escrita é dose exata para balançar os versos. Ainda não definimos o título da obra, mas as temáticas serão diversas. O livro abraçará o lirismo, mas com dose da força dos versos com que Bruno sabe conduzir. Escrever poemas com Bruno Borin Boccia é fantástico. Uma sintonia perfeita.


T&QP – Em se falando de literatura, qual a sua expectativa próxima?

Ana Angélica Bruni – A literatura é como uma máquina a vapor. O escritor transmite ao leitor o conhecimento através das linhas e isso é mágico. A expectativa que tenho é que possamos nós educadores formar novos leitores.


T&QP – Você acaba de lançar seu primeiro livro. Como foi essa experiência?

Ana Angélica Bruni – Acabo de Lançar “Palavras e Lágrimas”. O meu primeiro filho nasceu. E tem sorriso no rosto. A experiência é única e verdadeira. Ver os versos no livro foi uma alegria imensa para meus olhos.


T&QP – O que o leitor vai encontrar em “Palavras e Lágrimas”?

Ana Angélica Bruni – Vão encontrar uma forma lírica de ver tudo ao redor. E é através das palavras introduzidas nos versos da obra que danço como bailarina em várias retinas.


T&QP – Você pretende lançar outros livros?

Ana Angélica Bruni – Sim. Tenho mais sonhos. Acredito que sonhar me faz viver com alegria. O principal projeto é concretizar a obra com a parceria de Bruno Borin Boccia.


T&QP – Quais são seus projetos para o futuro?

Ana Angélica Bruni – Futuro é incerto, mas nele depositamos sonhos. E o livro para o público infantil é um futuro que gosto de sonhar.


T&QP – O que você acha da poesia contemporânea?

Ana Angélica Bruni – A poesia contemporânea veio para modificar a linguagem.  Chamar a atenção para o novo.  Essa nova poesia vem aguçando muitos leitores críticos. Como educadora os clássicos permanecem, mas é bom assimilar os clássicos com a contemporaneidade.


T&QP – Que papel a educadora e poetisa acha que desempenha a internet na divulgação da nossa literatura?

Ana Angélica Bruni – Esse veículo de informação chamado internet é fascinante. O bom seria se todos buscassem uma leitura de qualidade. Nem sempre nossos filhos e alunos optam por uma boa leitura. Mas mesmo assim acho que a internet tem sido veículo importantíssimo para veicular textos literários.


T&QP – Como você acredita será o futuro da poesia?

Ana Angélica Bruni – Penso que o futuro da poesia está na mão do poeta.  O poeta conduz a poesia. Mas ser poeta não é escolha, é dom.


T&QP – Defina Ana Angélica.

Ana Angélica Bruni – Sou mulher de sentimentos a flor da pele. Emociono-me facilmente. Mas nem sempre sou assim. Possuo um lado também muito inquieto. Posso dizer que tenho lados opostos como o bem e mal. Adoro ler e escrever. Adoro tudo que envolve literatura. Aprendi amar literatura através de Carlos Drummond de Andrade recitando no ensino médio o poema Quero.


T&QP – Defina a obra de Ana Angélica em uma palavra.

Ana Angélica Bruni – Doçura.


T&QP – Que mensagem você gostaria de deixar para a posteridade?

Ana Angélica Bruni – Ler é dar vida aos nossos olhos. Cegos ficam apenas aqueles que não conseguem ver nas letras sentidos distintos de ser feliz.


T&QP – Para finalizar, onde o leitor pode acompanhar Ana Angélica?


Ana Angélica Bruni – Tenho uma página no facebook: Palavras e Lágrimas.

*

Gostou? Acompanhe Toda & Qualquer Poesia e veja mais poemas e entrevistas como essa

4 comentários:

Ana Bruni disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Bruni disse...

Obrigada por tudo amigo. Foi um prazer participar. Blog maravilhoso. Lindo seu trabalho.

Ricardo disse...

Boa tarde, JM dela Rosa, Sou José Ricardo Valerio tenho 300 poemas e 400 musicas, como realizo uma entrevista para colocar no seu Blog

Ricardo disse...

Claro, quero fazer uma entrevista com vocês segue meu contato: (11) 976681804 (e-mail: valerio_mkt@ig.com.br ( Links : http://www.novostalentos.net/view.php?id=7050
http://www.novostalentos.net/view.php?id=7174 )

Postar um comentário

 
Copyright (c) 2010 Toda e Qualquer Poesia. Design by Wordpress Themes.

Themes Lovers, Download Blogger Templates And Blogger Templates.